MUNDO MÁGICO


Primeiro havia o caos. Era o Nada do mundo e tudo que havia nele. Não havia nem mar, nem céu, nem terra. Não havia estrelas nem luz. Gaia gerou o universo e tudo o que há nele. Mas a Terra foi uma filha diferente. Ela nasceu junto à seus irmãos, mas nenhum tinha sua beleza. Nenhum tinha sua vida. Ela era única. Então, Gaia resolveu presenteá-la e criou os seres que a habitariam. Os seres do ar foram os primeiros, seguidos pelos do fogo, da água e, finalmente, os seres da terra. Foi ai que surgiram os humanos. E foi a eles que Gaia deu mais liberdade.

Todos os seres viviam em perfeita harmonia. Mas então, os humanos descobriram o poder de dominação e ele os seduziu, como uma cobra enfeitiçando a presa para dar o bote. A maioria foi corrompida. Foi então que começaram a destruir tudo o que lhes parecesse diferente. Vendo o que acontecia, Gaia criou o véu do infinito, separando os dois mundos. E a natureza foi esquecida. Outras coisas começaram a importar para os humanos. Muitas guerras, incontáveis mortes. A Terra saiu de seu equilíbrio.

Os seres mágicos conseguem passar facilmente pelo véu. Eles visitam o mundo dos humanos sem que ninguém saiba que estão ali, ou mesmo quem são. Mas os humanos, a maioria não se lembra de onde vêm. Há alguns que sentem falta de algo que não sabem o que é.

Apenas uma pequena minoria consegue passar pelo véu. Mas se isso acontece, eles não conseguem voltar. Ficam para sempre com os seres mágicos, se esquecendo do mundo dos humanos. Se um humano volta ao seu mundo depois de atravessar um dos portais para o Aislin, o Mundo Mágico, acha que sua viagem não passou de um sonho.

Os seres mágicos eram mandados ao mundo dos humanos para lhes dar avisos. Mas não conseguiam alertar os humanos de que, se eles não parassem, iam acabar destruindo a Terra. Mas ainda há tentativas. Os gigantes fazem acontecer terremotos em lugares que não são propícios. Os ondins e as ondinas levantam as águas, criando ondas gigantes, e as sílfidies e os silfos fazem com que o ar se transforme em tufões. Mas nada disso está parecendo servir.



- Fadas e fados do ar:
São seres que convivem muito bem com as outras espécies. Dotadas de asas e um brilho natural em volta de si.

"O esqueleto das fadas é composto por ossos pneumáticos, iguais aos dos pássaros, que se enchem de ar para que as fadas fiquem mais leves quando precisam voar. Quanto mais leve estiver a fada, mais sucesso obterá em seu vôo. A circulação sanguínea é semelhante a do ser humano. O coração é a parte mais importante do corpo de uma fada. É o órgão pulsante da vida. As fadas possuem duas glândulas que conferem à elas seu brilho comum. Quando o metabolismo das fadas diminuem, essas glândulas diminuem também seu desempenho e o brilho começa a cessar. Se ele apagar por completo, a fada estará morta. A pele das fadas comuns é um tecido muito fino. Dessa forma, essas criaturas não suportam temperaturas muito altas nem muito baixas. Têm, em média, doze centímetros de altura e grandes asas como as de um inseto, que podem ser transparentes (como as de uma libélula) ou multicoloridas (como as de uma borboleta). Habitam casinhas minúsculas, cogumelos ocos ou coisas parecidas" (A FILHA DE GAIA, Carol Vasconcelos - 2014).

Existem várias populações de fadas do ar e cada uma delas têm suas próprias características, dependendo dos locais que vivem. O tamanho desses seres, o formato das asas e até a cor do brilho podem variar. Fadas da floresta, por exemplo, costumam ter asas semelhantes as de libélulas (transparentes, sendo duas asas maiores e duas menores complementares). Já as fadas do campo ou dos jardins são dotadas de asas semelhantes as de borboletas.

- Ninfas
São seres que se assemelham às fadas, porém são menos desenvolvidos que elas. A pele das ninfas parece ser feita de uma material invisível. Elas são extremamente frágeis e têm a expectativa de vida muito curta (entre uma e duas semanas). No centro da parte superior de seus corpos, há um órgão pulsante (como um coração), uma fonte vital, uma bola de luz no meio do peito. É o órgão mais importante de seus corpos e é dele que provém sua magia e energia vital. Vivem junto às fadas, auxiliando-as.

- Pixies
            Seres mestiços nascidos da união entre fadas e duendes. Sua aparência é como a de um duende com asas. São as criaturas que mais têm contato com outras dimensões hoje em dia. Vivem muito bem com outras raças e não possuem locais específicos para constituir moradias.


- Salamandras
Parecem ser feitas do próprio fogo. Sem elas, o elemento não pode existir. Elas vivem no reino do fogo e têm o poder de transformar e desencadear emoções. As Salamandras, não têm forma definida, a não ser as guerreiras e o Rei das salamandras, que apresentam uma aparência humanóide com uma calda de fogo. As demais parecem bolas feitas desse elemento e que podem atingir até seis metros de altura. Suas expressões faciais, quando percebidas, são rígidas e severas. Dentro de todas as suas formas energéticas, estes seres são capazes de desenvolver pensamentos e emoções. Esta capacidade derivou-se do contato direto com o homem e da presença deles em seu cotidiano. Por esse motivo, as Salamandras desenvolveram forças positivas, capazes de bloquear vibrações negativas ou não produtivas, permitindo um clima de bem estar aos humanos.
O homem é incapaz de se comunicar adequadamente com as Salamandras, pois elas reduzem a cinzas tudo aquilo de que se aproxima. Muitos místicos antigos, preparavam incensos especiais de ervas e perfumes, para que quando queimados, pudessem provocar um vapor especial e assim formar em seus rolos a figura de uma Salamandra, podendo ,dessa forma, sentirem sua presença.

- Fadas do fogo
     São seres que parecem feitos do próprio fogo. Pouco se sabe sobre elas. É conhecido somente que elas sempre estão perto das salamandras e vivem no reino delas. Se assemelham a pequenos insetos alados. Fora o nome, não há relação direta desses seres com as fadas ditas puras.



- Ondins e Ondinas
Assim como os outros elementais, ondins e ondinas atuam na essência invisível e espiritual. Sua função é de controlar o elemento água, estando presente em todos os lugares onde esse elemento se encontra, inclusive tendo grande influência sobre seres humanos, que têm quase 80% de água em sua composição. Em sua grande maioria, ondins e ondinas são muito parecidos com sereias, tanto em sua forma, quanto em seu tamanho, porém podem se transformar em água quando bem entendem.

- Sereias e tritões
Metade peixe, metade humano, as sereias e tritões são bastante conhecidos principalmente por sua beleza. Vivem geralmente nos mares e lagunas (água salgada), mas há relatos de sereias e tritões em lagos, lagoas e rios (principalmente nos mais isolados e desconhecidos). Vivem em sociedades organizadas por suas próprias regras.

- Fadas da água
      São uma espécie de fada que vive próximo a lagos e lagoas. Dotadas de calda de peixe e asas de fada, esses seres preferem água doce. A pele das fadas das águas tem uma coloração azul esverdeada e algumas partes escamadas. São seres que vivem pouco em relação às fadas comuns. Convivem bem, em geral, com outros seres e sempre estão em grupos de duas ou mais fadas da água.



- Gigantes
Seres muito fortes fisicamente que têm em média 3 metros de altura. Pouco organizados, os gigantes vivem em pequenos clãs. Inacreditavelmente velhos, os gigantes carregam a sabedoria das Eras já vividas. Habitam, em grande maioria, florestas remotas e montanhas. Existem três gigantes de uma antiga raça que foi extinta, os Etins, que são nomeados como Guardiões da Terra. A aparência dos Etins demonstra uma idade avançada, porém esses gigantes são imortais. Suas dimensões são variadas, dependendo do medo de quem está falando com eles.

- Duendes
Os Duendes são alegres, amam festas, músicas e danças. O comportamento varia. Em geral, se baseiam em atitudes humanas por estarem próximos aos homens. Os duendes são ligados à Terra e geralmente conseguem controlar imprevistos da natureza. Vivem vários anos e chegam a constituir famílias. Adoram comer e fazer brincadeiras, tais como esconder objetos. Alguns possuem orelhas grandes e pontudas e grande quantidade de pelos no corpo. Quando confiam nos homens se tornam fiéis e grandes protetores. Afirma-se que os duendes têm apetites insaciáveis e que gastam uma grande parte do tempo comendo. Muitos são de temperamento mesquinho e gostam de acumular coisas escondendo-as longe, em plantas secretas. Os duendes escondem-se em folhas e árvores, dispersando-se pela relva dos bosques. Esses seres estão associados aos gnomos e são considerados emissários e operários etéreos do fluxo de energia vital. Eles podem viajar através das dimensões, o que lhes permite aparecer e desaparecer. Os duendes possuem hábitos noturnos e geralmente têm uma atitude benévola. A maioria deles mora nos bosques ou campos, no interior de alguma árvore ou no subsolo da terra. Os duendes podem viver vários séculos, ultrapassando 500 anos, mas não são imortais.

- Gnendes
Mestiços nascidos da união entre gnomos e duendes. É exatamente o meio termo entre as duas raças. Vivem bem com outras raças.

- Elfos da terra
Mestiços nascidos da união entre elfos e gnomos. Elfos da terra são pequenos como os gnomos, mas magros e leves como os elfos. Vivem nas florestas e geralmente são muito solitários e reservados

- Gnomos
Um ser pequeno, com alguns poucos centímetros de altura, entroncado, transparecendo idade avançada. Seres mágicos protetores da natureza e dos seus segredos. Usam chapéus pontudos em forma de cone. Os homens vestem o chapéu da cor vermelha e têm enormes barbas brancas, trajando por vezes túnicas azuis ou de cores suaves. Já as mulheres usam chapéus de cor verde. Têm a capacidade de penetrar em todos os poros de terra e até de se introduzirem nas raízes das montanhas, explorando os mais ricos minérios ocultos e trabalhando-os com intenso e delicado labor. São guardiões de muitos tesouros. É uma raça que não se relaciona bem com as outras, preferindo manter-se isolada.

- Troll
De orelhas e narizes enormes, os troll são humanoides não muito inteligentes. Sua expectativa de vida é de mais de mil anos. Por serem criaturas noturnas e ficarem por muito tempo em cavernas escuras, criou-se a lenda de que os troll não podiam sair à luz do dia, pois se o fizessem virariam pedra. Porém, isso não é verdade. Os troll são reservados e vivem geralmente em pequenos clãs, principalmente para proteger suas proles.

- Centauros
Metade homem, metade cavalo, essa criaturas lendárias são bastante conhecidas dos mitos humanos. Seres extremamente inteligentes, os centauros se dividem em duas semi-raças: Íxions e Quírons. Os primeiros caracterizam-se por sua força bruta, insensata e cega. Impulsivos e violentos, os Íxions inclusive comem carne crua de seus rivais após combates. Já os Quírons, prezam a força, porém aliada a razão e inteligência, tornando-se mais civilizados e mostrando melhor convivência entre a própria raça e com outras raças.

- Elfos puros
Seres de aparência eterna, altos e esbeltos, com linhas finas delineando a face jovem. Muito reservados e contidos, os elfos puros se dividem em dois tipos: elfos negros e elfos brancos. Os primeiros têm cabelos longos e negros, olhos escuros e pele muito branca. Já os elfos brancos têm longos cabelos brancos, a pele da cor da porcelana, e olhos azuis ou verdes. Ambos vivem em comunidade. Os elfos são sábios, belos, orgulhosos e arianos, e dificilmente misturam-se com outras raças. Se fosse considerada apenas a aparência física não se daria para diferenciar elfos e elfas, contudo elfos costumavam vestir mantas de cores mais escuras, como o azul e o verde, enquanto as elfas usavam cores rosa claro e creme.

- Dríades
Espírito das florestas que nasce junto com uma determinada árvore da qual ela exala. A dríade vive na árvore ou próxima a ela. Quando a sua árvore é cortada ou morta, a divindade também morre. Para proteger sua morada, a dríade transforma-se em monstros assustadores. Quando em sua aparência normal, as dríades mostram-se como belas mulheres de pele esverdeada e olhos escuros.

- Meio humanos e Humanos descendentes
Os meio humanos são descendentes diretos ou indiretos de seres humanos que um dia já habitaram o Mundo Mágico. Alguns são mestiços nascidos da união de alguma raça mágica com um humano e outros são humanos que atravessaram o véu e não voltaram mais para o seu mundo. Os meio humanos e humanos descendentes são muito semelhantes aos humanos comuns no que diz respeito a aparência física, apresentando somente algumas poucas e irrelevantes diferenças.

Um comentário:

luminhablog@123.com disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.