Quando é preciso mudar

Acho que sou uma pessoa que não tem grandes problemas com mudanças. Todas as que vivi na minha vida consegui me adaptar, de uma forma ou de outra. Aliás, julgo que isso é uma ótima qualidade minha, já que segundo Darwin e suas ideias sobre a teoria da evolução e transmutação das espécies, quem não muda para atender as exigências do ambiente em que vive sucumbe à seleção natural e à extinção. Afinal, quem acaba sobrevivendo às mudanças do mundo? Exatamente as pessoas que mudam junto com ele.

Pois bem. Tem algumas pessoas que vêem mudanças como algo negativo. "Ah, você mudou. Não é mais a pessoa que eu conhecia". E eu penso: "Que bom! Acho que se isso não acontecesse, seria impossível eu estar viva agora, já que existem células no meu corpo que morrem e outras que nascem. Eu acordo hoje diferente da pessoa que fui dormir ontem. A vida é assim, nada será sempre do mesmo jeito e eu gosto de acompanhar as mudanças".

Se eu gostava de determinado estilo musical e deixei de gostar, passando a gostar de outros, sim, eu mudei. Se eu me vestia de uma forma e hoje me visto de outra, sim, eu mudei. O que tem de errado nisso? Eu gosto de experimentar e viver coisas novas, gosto de me sentir livre pra fazer minhas escolhas, gosto de fazer mais de uma coisa de uma só vez. É assim meu modo de funcionar.

Se eu erro, eu vou querer mudar para acertar da próxima vez, não vou querer permanecer errando, certo? E mesmo que eu acerte, às vezes existem outras formas de acertar e posso querer mudar para tentar chegar nelas.

Ultimamente, muitas mudanças vêm acontecendo comigo em todos os níveis da minha vida. Na verdade, 2013 está sendo, como eu esperava e como 2012 já apontava, um ano de mudanças.

Muita coisa já havia começado a mudar nos anos anteriores. Mudei meu status de estudante para profissional. Mudei de casa e toda a minha rotina se modificou em função disso. Mudou a forma de eu me apresentar para as pessoas. Mudou meu sorriso.

E agora outras coisas mudaram. Mudou meu modo de pensar e ver algumas coisas, o modo de eu me relacionar com as pessoas, mudou novamente minha rotina em função do trabalho e até mesmo minha forma de acordar. Mudou o gosto da comida. Mudou o estilo, a forma de eu me vestir e de eu me comunicar. Mudou minha forma de escrever e de me colocar no mundo. Mudou a forma de eu lidar comigo mesma.

Ainda mudou meu lugarzinho na web e assim me expressar através de algo que tanto gosto: a moda. Sai do blog que iniciei, lá em 2010, porque eu havia mudado e eu não me via mais feliz daquela forma. Então mudei de endereço na internet.

Mas não mudou a vontade de nunca parar, de recomeçar e de seguir sempre em frente.