Entrevista - WICCA

Hoje eu trouxe pra vocês uma entrevista com uma praticante da fé Wicca. A ideia começou, na verdade, como uma brincadeira, mas acabou que tornou-se algo sério e achei que seria interessante trazer alguém para falar sobre uma fé que poucas pessoas conhecem, em vez de eu mesma fazê-lo.

Por preferência da entrevistada, não revelei seu nome, nem o nome do coven (já já a explicação do que é) ao qual ela pertence. Utilizei o nome Briar para identificá-la na entrevista.

Vamos lá!


Carol: Você poderia começar dando uma breve definição da fé Wicca?



Briar: É difícil fechar a Wicca em definições básicas, mas vamos tentar. Como definição simples, a Wicca é uma fé neo-pagã, que tem influências de religiões pré-cristãs. Por tratar-se de uma fé politeísta, os wiccans veneram mais de um deus, sendo as principais divindades a Deusa Mãe e o Deus Cornífero, porém havendo ainda divindades "menores". Acho que isso é o básico.

C: E como funciona a estrutura da Wicca?


B: Nós não temos templos fechados como a maioria das religiões têm. Nosso templo sagrado é a própria natureza. Temos grupos, chamados de Covens, que se encontram frequentemente para estudar a antiga arte. Esses grupos têm, no máximo, 13 pessoas e são presididos pelos sacerdotes e sacerdotisas da nossa fé. Nós seguimos um simples código moral: "Faze tudo o que tu queres desde que não prejudique ninguém". É algo simples, mas de muita importância. Porém alguns wiccans seguem solitários os caminhos da Deusa.


C: A Wicca não tem polos negativo (mal) e positivo (bem) definidos, certo?


B: Isso. Para nós não existe bem ou mal absolutos. Todos nós temos bem e mal dentro de nós e com as divindades não é diferente. Não há conceito de inferno, diabo e pecado da forma que há nas religiões cristãs.


C: Você pode falar um pouco sobre as "datas comemorativas" da Wicca?


B: Temos os Sabbats, datas sagradas comemoradas por nós. São, basicamente, as passagens das estações do anos. São 8 datas que constituem a Roda do Ano das bruxas. Temos também os Esbats, que celebram as luas. O mais conhecido Sabbat é o Samhain, que coincide com o Halloween para quem segue a Roda do Ano mista.


C: E quais rituais são realizados na Wicca?


B: Além dos rituais realizados nos Sabbats e Esbats, também são realizados rituais de iniciação, ritos de passagem e rituais semelhantes ao casamento e batismo cristãos. O "casamento" Wicca, chamado de handfasting, é muito bonito. No fim, a promessa feita pelos "noivos" é de "enquanto durar o amor".


C: O que significa o pentagrama?


B: Primeiramente, o pentagrama não é um símbolo Wicca nem exclusivo dela. A Wicca adotou alguns símbolos, assim como muitas religiões fazem. Para nós, o pentagrama tem muitos significados, sendo o principal os cinco elementos.


C: Agora perguntas um pouco mais específicas sobre você. Como e quando começou sua história na Wicca?


B: Há uns 5 anos atrás entrei em um coven, mas a Wicca está na minha vida há mais tempo. Minha mãe é wiccan, então tudo aconteceu muito naturalmente pra mim, pois desde criança já ouço falar na Deusa e na Wicca.


C: Quando você fala que é wiccan, como as pessoas que não conhecem a fé reagem?


B: Geralmente perguntam "É aquilo de bruxaria né?" ou "Você corre nua na lua cheia?" ou só perguntam do que se trata.


C: Falando nisso, por que não chamamos a Wicca de bruxaria?


B: Claro que chamamos, mas só dentro do grupo ou com outros wiccans. O nome bruxaria assusta, desde os tempos da Idade Média. Meu obrigada especial para a Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Valeu, vocês são demais. Mas sério, existe muito preconceito em relação à Wicca e à outras religiões da Deusa e grande parte disso deve-se a difamação feita por muito tempo (até hoje, inclusive) pelas religiões cristãs.

C: Qual seu Sabbat preferido e por que?


B: Beltane, porque é o mais alegre de todos. Pra quem comemora creio que seja o melhor.


C: Bom, obrigada pela entrevista. Claro que não tínhamos como expor em uma entrevista tudo sobre a Wicca, até porque é um campo muito amplo. Mas acho que foi bastante esclarecedor.


B: Obrigada você por me chamar. Falar sobre a Wicca é uma coisa que amo fazer. E como a entrevista vai sair no blog perto de 31 de outubro, Feliz Samhain pra quem comemora a Roda do Ano mista como eu ou a Roda do  Ano do Hemisfério Norte. Pra quem comemora a Roda do Ano do Hemisfério Sul, Feliz Beltane!




Bom, gente, espero que vocês tenham gostado.

Beijos!

Resultado SORTEIO DE LIVRO

Então gente, vim trazer pra vocês pra vocês o resultado do sorteio de um exemplar do meu livro "Contos do Mundo Mágico", feito através do Random.



Parabéns Maria Wilma! Você receberá um email meu para fornecer seus dados para o envio do livro. Caso não responda dentro das 48h (prazo previsto nas regras do sorteio), será feito um novo sorteio com resultado divulgado aqui no blog.

Obrigada a todos pela participação. Fiquem ligados aqui no blog que vem muita novidade por ai.

O Inverno das Fadas - Carolina Munhóz


Primeiro, quero deixar claro que o que falarei em seguida não se trata de uma resenha, apenas de um depoimento sobre como me senti lendo "O Inverno da Fadas". Esclarecimentos feitos, vamos lá...

Recebi o livro de Carolina Munhóz, o qual pedi no Submarino (aliás a entrega foi bem rápida), na sexta feira (05/10/2012), mas não pude começar a leitura no mesmo dia, pois estava com muitas coisas pra fazer. Pra matar um pouquinho a vontade, li as orelhas, os agradecimentos, a lista de músicas no fim do livro e tudo o mais que tinha letras, menos a história em si.


Comecei a ler de fato "O Inverno das Fadas" no sábado pela manhã. E algo de mágico aconteceu. Eu, que sempre demoro eternidades pra ler, pois tenho pena que a história acabe, li um livro em exatas 14 horas (do mesmo dia). Tentei fazer outras coisas, me distanciar do livro pra não acabá-lo tão rápido, mas foi impossível. Alguma força me levava a continuar lendo. A cada passada de páginas, um aperto no coração, uma ansiedade incontrolável.

Eu levantava de onde estava sentada lendo o livro, andava pela casa, falava com as pessoas, tentava prestar atenção no episódio do The Voice americano que meu namorado baixa toda semana para assistirmos juntos, mas nada me desligava do que eu estava lendo. Até árvore de Natal eu ajudei a montar (sim, está muito cedo pra isso, mas meu sogro comprou uma árvore nova e quis montar porque né... como diz minha cunhada, é nova xD). Mas isso me lembrou neve, que me lembrou inverno... e eu voltei para o livro.

Depois até fiquei com pena do meu namorado. Deixei ele sozinho praticamente o sábado inteiro. Ele até mexia no livro, dizia que ia esconder, mas eu realmente não consegui desviar minha atenção de maneira nenhuma.

No fim, entendi que havia sido capturada pelo feitiço de Sophia, uma Leanan Sídhe, e não consegui mais escapar. Eu precisava dela, saber o fim daquele enredo era tudo em que eu pensava. Em troca, ela precisava de mim como leitora (e também de cada leitor que a conhecia), para continuar vivendo, pois isso faz parte de sua sina.



Já está participando do sorteio para ganhar um exemplar de "Contos do Mundo Mágico"? Ainda não? E tá esperando o que? Participa!

Papo com Carol Vasconcelos na Nobel

Vai rolar um papo comigo sobre meu livro "Contos do Mundo Mágico", dia 30/Out, a partir das 19h, na Livraria Nobel da Salgado Filho (Natal/RN).

Quem ainda não tem o livro, pode aproveitar a oportunidade. Vai haver exemplares disponíveis e você ainda pode garantir o autógrafo.

Espero todo mundo lá!