Entre o amor e as estrelas




Prefiro que não me dê buquês de flores... elas vão morrer em pouco tempo. Construa-me um jardim. Prometo cultivá-lo para sempre e ele ainda me renderá belas tardes ensolaradas e muitas borboletas que me farão companhia sempre que estiver longe.




Prefiro que não me dê uma caixa de bombons finos. Sim, eles são uma delícia, mas acabarão e nunca saberei se os comprou porque realmente lembrou-se de mim e quis me agradar. Faça-me uma panela de brigadeiro e podemos comer juntos e até nos lambuzarmos como duas crianças felizes. Prometo guardar essa lembrança até o fim de meus dias.




Prefiro que não me leve num jantar a luz de velas. Elas me lembram coisas breves e que podem acabar num sopro. Leve-me a um lugar aberto no qual possamos ver as estrelas. Podemos escolher uma, bem grande e brilhante, e dar nosso nome a ela. Assim saberei que o que sentimos vai viver tanto quanto aquela estrela e será tão belo quanto ela.